Açores - Bilhetes Postais

PRIMEIROS BILHETES POSTAIS ILUSTRADOS PORTUGUESES

        O primeiro postal oficial dos Correios de Portugal, ainda não ilustrado, foi editado em 1878. Contudo, só em 1894 apareceu aquele que podemos considerar como o primeiro postal ilustrado português. Foi, aliás, um postal comemorativo, à imitação do que em 1893 se fez em Zurique, pela primeira vez.


        O primeiro postal ilustrado português, com uma gravura de Francisco Pastor, um gravador que se havia salientado na redação de periódicos e revistas, nomeadamente em O Occidente evocava o V Centenário do nascimento do Infante D.Henrique, o descobridor das ilhas atlânticas e da costa da África a sul do Cojador.



    
    O êxito alcançado por este postal estimulou artistas e editores à publicação de outros. Em 1895, do III Centenário do nascimento de Santo Antonio (1195-1253), editaram-se mais dois, um oficial (desenho de A .Pedroso) e outro particular. A idéia dos postais ilustrados penetrou desde logo no comércio, datando de 1895 um publicitário da firma Santos Beirão & Henriques, que na sua Casa Memória vendia bicicletas e máquinas de costura.


      


  Curiosos são os postais editados pela Tipografia Auxiliar de Escritório, com figuras típicas de Coimbra, os estudantes com suas capas e barretes, o fado acadêmico, as tricanas, a sebenta, aspectos pitorescos de Coimbra. Sobre esta série foi publicada em Portugal, na Gazeta Ilustrada (Coimbra, 13 de julho de 1901) aquele que podemos considerar um dos mais antigos artigos sobre “Bilhetes Postais Ilustrados”.

Os bilhetes postais que comunmente são denominados Gruss Aus... (Recordação de...) tiveram suas origens na Alemanha nos finais do séc. XIX.

Bilhete Postal Russo expedido de
Ponta Delgada para os EUA em 1908
        Pela novidade e beleza de concepção, logo foram imitados por todos os países do mundo que traduziram para seus idiomas aquele dizer que se tornou uma de suas características.

        Assim temos na França, Bélgica, Suiça, os “Souvenir de...”, na Itália “Salute de...” ou “Ricordo di...”; no Brasil “Lembrança de...” e Portugal “Recordação de...”; na Espanha e países latino americanos “Memórias de ...” ou “Recuerdo de...”; nos países de idioma inglês “Greetings from...” e assim sucessivamente.

        São belos postais geralmente litografados em cores, com vistas de cidades, fábricas ou interiores de cervejarias enfim algo que caracterize as localidades de onde foram reproduzidos.

        Foram eles os primeiros postais que deram a oportunidade aos viajantes de se fazerem lembrar enviando recordações e parte de suas impressões dos locais visitados.

       

Fonte: Cultura e Conhecimento


BILHETES POSTAIS CIRCULADOS AÇORIANOS

Expedidos de Angra do Heroísmo




1901 - Angra -> França



1903 - Angra -> Havana (Cuba)


1903 - Angra -> Bélgica



1903 - Angra -> Inglaterra



1903 - Angra -> Alemanha


1903 - Angra -> França


1904 - Angra -> Alemanha


1904 - Angra -> Alemanha


1904 - Angra -> Lisboa


1904 - Angra -> Lisboa


1905 - Angra - São Miguel (Açores)


1906 - Angra -> França


1906 - Angra -> Lisboa


1906 - Angra -> Lisboa


1906 - Angra -> Lisboa


1906 - Angra -> Bélgica


1906 - Angra -> França


1907 - Angra -> Bucareste (Roménia)


1911 - Angra -> Lisboa


1911 - Angra -> França


1919 - Angra -> Lisboa



1913 - Bilhete Postal expedido de Angra do Heroísmo
com destino a Lisboa, a bordo
do navio Fabre Line S.S. Germania


1926 - Angra -> Lisboa


1926 - Angra -> Lisboa



Expedidos de Horta



1900 - Horta -> Estados Unidos América



1905 - Horta -> Estados Unidos América



1905 - Horta -> Ponta Delgada


Expedidos de Ponta Delgada



1897 - Ponta Delgada -> França
(Assinado por Ernesto do Canto)





Ernesto do Canto (Prestes, Ponta Delgada, 12 de Dezembro de 1831 — Ponta Delgada, 21 de Agosto de 1900) foi um historiador, bibliófilo e político açoriano que se distinguiu pela organização e publicação do Arquivo dos Açores. A sua excepcional biblioteca, que inclui um conjunto alargado de obras referentes aos Açores, entre as quais várias raridades, foi legada à Biblioteca Pública e Arquivo de Ponta Delgada.

A 3 de Maio de 1896 Ernesto do Canto embarcou de Ponta Delgada, com destino a França. Chegou a Paris no dia 14 de Maio. No dia 25 foi submetido a uma operação à bexiga, na Casa de Saúde dos Frères de S. Jean de Dieu. Partiu de Paris, no combóio Sud-Express, com destino a Lisboa, a 26 de Setembro, tendo chegado a 28. A 5 de Outubro embarca no navio "Açor" rumo a São Miguel onde chegou no dia 8.
A 3 de Junho de 1897 Ernesto do Canto escreve, nas suas notas, que só no dia 15 de Agosto de 1896 sentiu esperanças de voltar à sua terra, por ter um apetite devorador e se sentir renascer. É de presumir que o bilhete postal em apreço tenha sido remetido à enfermeira (M. Cottin) que lhe terá prestado assistência em Paris.
Fonte: Arquivo dos Açores, Vol XIII, 1920




1901 - Ponta Delgada - Estados Unidos América



1904 - Ponta Delgada -> Estados Unidos América